Falta de Modos - Marina Mattos

Comprei e gostei: Loja online Wear Ever


Ouláaa pessoas. Essa montagem escrota nível 1000 aqui em cima foi eu que fiz. Gastei uns bons quinze minutos no Pic Monkey como se não tivesse trabalho nenhum da faculdade para fazer. Anywaaays. Acho que foi pelo facebook que eu descobri essa lojinha online de roupas, a Wear Ever. O nome é muito criativo e as roupas super estilosinhas. O mais legal é que a maioria são roupichas que dá para usar no dia a dia, mas que se souber  combinar, dá para montar looks legais pra sair. Bom pra quem emendar bar depois da faculdade (euzinha aqui) ou não tem tempo de passar em casa para se trocar. O famoso "dress up" ou "dress down"

Quando eu encontrei esse site maravilhouso as camisetas estavam em uma super promoção ($30 dilmas cada), e eu justamente estava à procura de blusinhas para a faculdade. Juntei a fome com a vontade de comer, ou o meu consumismo com uma boa barganha. Com dor no coração de $15 reais de frete, levei quatro t-shirts. Como o negócio é meio "caseiro", demorou pra caramba pra postar no correio e mais ainda para chegar. No total acho que levou uns 15 dias, 20 no máximo. Pra gente ansiosa como eu, uma eternidade. Enfim, elas chegaram e eu vi que o pano é bem diferente do que eu imaginava. Eu pensava que era alguma coisa parecida com as camisetas de algodão da Camiseteria, mas é um paninho mole e um pouco transparente. Diferente do que eu imaginava, ele molda super bem no corpitcho. Essas foram as minhas escolhas:

 1.Minha amiga achou essa camiseta macabra, hahaha. 2. Nananananananananana


O que acharam? Fez sucesso lá na faculdade! hehehe Minha amiga pediu o site e eu acabei passando lá de novo para ver as novidades. Infelizmente, a promoção acabou, mas já tem camisetas novas que eu to querendo muuuuito. Ah! Lá não vende só camiseta não, viu? Tem saia, camisa, legging, moleton... É que eu sou viciada em t-shirts mesmo. Eu gostei muuito do serviço de lá. Dá uma olhada do site e me conta qual sua peça favorita! Essas são minhas próximas escolhas...




PicNic: Fast Food Saudável



Andando pela Augusta de boas, eis que encontro o restaurante mais simpático, com cara de vida americana da cidade. O PicNic é um fast food natureba, cheio de comidinhas saudáveis para quem vive a correria de São Paulo. 

Saladas, quiches, sanduíches, smoothies e cookies são apenas algumas das maravilhas encontradas por lá, além das delícias do dia. 

Você pode tanto parar lá para comer, pegar para levar ou pedir pelo delivery. O preço é paulista né, gente? Nada muito barato, mas também  não são preços malucos. O mais legal de lá acho que é a opção de montar uma cesta completa de picnic. Eles preparam tudinho, é só levar para o parque e curtir a refeição.

Já fui lá duas vezes. Na primeira dividi um quiche de alho poró. Também já tomei o smoothie de frutas vermelhas que é muito bom, mas estava bem azedinho, coloquei uns dois saquinhos de açúcar. Minha amiga comeu uma sobremesa de limão, muito gostosa também. Dá vontade de levar tudo!


Faça uma pausa, faça um PicNic.


Horário de funcionamento
Segunda a Quinta das 08h às 22h
Sexta das 08h às 23h
Sábados das 08h às 24h
Domingos e Feriados das 10h às 22h

Endereço
Rua Augusta, 1360 - Bela Vista
01304-001 - São Paulo - SP
Tel: 11 2495-0960

Site
http://www.picnicsite.com.br/

Dream Bouncy Blush Maybelline

Acho que nunca fiz resenha de produto aqui né? Apesar disso, amo maquiagem e sei uma coisa ou outra pra contar pra vocês. O que acham?


Esse blush aqui é super diferente e eu acabei comprando, em uma viagem, para ver. Quando lançou era uma super novidade por que ele "pula". Assim, você aperta e ele volta sabe? Isso por que ele é uma mousse. 

O pigmento dele é super fraquinho e no começo eu achei uma droga, mas depois achei uma utilidade. Eu uso ele como base para o blush em pó, que passa a durar o dia inteiro. Se você for muuuito branquinha dá para construir a cor na pele com várias camadas, mas se não ele deixa muito a desejar sozinho.


O melhor jeito de aplicar é com os dedos ou com um duo fiber. 

Enfim, eu não compraria outro desses, mas dá para achar outros jeitos de usar se já tem em casa.

Oulá. Como vocês estão? Eu tô uma bosta.



Sabe quando acontece uma coisa ruim e ai começa a descer uma avalanche de má sorte pra cima de você e não tem onde se esconder? Adiciona um pouco de inferno astral nisso, um coração partido e gente filha de puta. Pronto, a receita da minha vida. O engraçado é que eu não sou uma pessoa de passar por muitas "bad trips". Eu geralmente fico tristonha, mas logo estou sorrindo de novo. Dessa vez o universo aceitou o desafio de me deixar para baixo por mais tempo e bater um certo tipo de recorde pessoal. 

Depois de ouvir o cd da Lana várias e várias vezes, passei da tristeza para a parte revolucionária de toda crise onde começamos a questionar as nossas últimas escolhas. Divaguei sobre a direção que minha vida estava tomando, o que eu to fazendo dos meus anos de faculdade? Uma hora eu quero investigar, sair pelo mundo e descobrir falcatruas, no segundo seguinte quero conhecer pessoas novas e escrever crônicas deitada na rede de casa. Passa mais um tempo e decido viver a vida de São Paulo, badalada, corrida e competitiva. No fim só espero que todas essas "vidas" na verdade sejam fases de uma existência só: a minha. 

Afinal, não existe jeito melhor de passar os últimos dias da adolescência se não imersa em uma crise existencial. Eu vou terminar o dia tomando cerveja com a minha melhor amiga no bar, e acho que termina aqui também um ciclo, uma fase, um eu. Quem será a próxima Marina?

Mixtape #4 Para curtir a fossa

Para vocês meninas, que estão na fase sofrida, te quero de volta, da bad. E lembrem-se: